O que é Menopausa? Tudo o que você precisa saber!

A menopausa é uma fase na vida da mulher em que a menstruação para naturalmente.

Porque os hormônios femininos (estrogênio e progesterona) não são mais produzidos pelos ovários.

Geralmente ocorre em média entre as idades de 48 e 51 anos.

Neste post, iremos explicar sobre o que é menopausa, os sintomas, causas e os seus tratamentos.

Índice

O que é menopausa e climatério?

Climatério é o nome científico para o período de transição nas mulheres da fase reprodutiva (ciclo menstrual) para a fase não reprodutiva (pós-menopausa).

Assim, a menopausa é um fato que ocorre durante o climatério em que a função ovariana declina.

Faz com que o ciclo menstrual se torne irregular até parar completamente.

Com quantos anos a menstruação começa a falhar?

É comum que a menstruação falhe cerca de cinco vezes antes de parar completamente.

Essas falhas geralmente começam por volta dos 40 anos.

A menopausa em si é mais comum após os 45 anos.

Menopausa precoce

Por outro lado, a menopausa precoce, que é quando a menstruação para antes dos 40 anos, também pode ocorrer.

Na maioria dos casos, a causa é desconhecida.

Alguns cientistas acreditam que pode ser genético, autoimune, infeccioso ou iatrogênico após radioterapia, quimioterapia, cirurgia.

A menopausa possui três estágios

Pré-menopausa

A pré-menopausa é o período em que o corpo da mulher se prepara para não ter mais filhos.

É caracterizada pela diminuição da produção hormonal.

Trata-se da menopausa, que começa por volta dos 40 anos, quando as mulheres ainda menstruam e dura em média de 6 a 8 anos.

A pré-menopausa é assintomática e, quando os sintomas começam, a perimenopausa começa.

Perimenopausa

A perimenopausa é o período entre a pré-menopausa e o primeiro ano após a menopausa.

Geralmente, os primeiros sintomas da menopausa começam nesta fase.

Menstruação irregular, seguida de ondas de calor e alterações no sono e no humor, e termina quando a pessoa completa um ano sem menstruar.

Pós-menopausa

A pós-menopausa começa um ano após o último período menstrual e continua até o fim da vida.

Durante a fase inicial, que dura até cinco anos, normalmente na fase avançada, pode haver aumento do risco de osteoporose e doenças cardiovasculares.

A atrofia vaginal é comum durante a pós-menopausa, o que pode levar a órgãos secos e dor durante a relação sexual.

Por isso, é muito importante que as mulheres procurem ajuda médica para superar o problema e manter uma boa qualidade de vida.

As principais causas da menopausa

Queda dos hormônios

A principal causa da menopausa é a queda natural dos hormônios reprodutivos.

À medida que você se aproxima dos 30 anos, seus ovários começam a produzir menos estrogênio e progesterona.

Hormônios que regulam a menstruação e a fertilidade.

Quando você completa 40 anos, seus ciclos menstruais se tornam mais longos ou mais curtos, mais ou menos frequentes.

Até que eventualmente os ovários param de produzir hormônios e a menstruação para, isso acontece por volta dos 50 anos.

Remoção do útero

A histerectomia é a remoção do útero, com ou sem a remoção dos ovários.

Quando a cirurgia ocorre e os ovários não são removidos, a menopausa geralmente não ocorre imediatamente.

Embora não haja mais períodos menstruais, os ovários ainda liberam óvulos e produzem estrogênio e progesterona.

Por outro lado, a cirurgia para remoção do útero e ovários, histerectomia total e ooforectomia bilateral, causa menopausa imediata.

Neste caso, a menstruação é interrompida permanentemente.

Como resultado, as mulheres podem experimentar ondas de calor e outros sintomas, que podem ser graves.

Porque essas mudanças hormonais ocorrem de repente, e não gradualmente, ao longo de vários anos.

Quimioterapia e radioterapia

A quimioterapia e a radioterapia são tratamentos de câncer muito comuns.

Eles podem induzir a menopausa, causando sintomas como ondas de calor durante ou logo após o tratamento.

A interrupção da menstruação e fertilidade, após a quimioterapia nem sempre é permanente, então o controle de natalidade ainda funciona.

Insuficiência ovariana primária

Cerca de 1% das mulheres experimentam a menopausa antes dos 40 anos.

Especialmente nestes casos, a menopausa pode ser causada por falência ovariana primária.

Isso acontece quando os ovários param de produzir níveis normais de hormônios reprodutivos devido a fatores genéticos ou a uma doença autoimune.

Causa indefinida

Muitas vezes, a causa da menopausa não pode ser encontrada, especialmente nos estágios iniciais da menopausa.

Para essas mulheres, a terapia hormonal é geralmente recomendada pelo menos até a idade da menopausa natural para proteger o cérebro, o coração e os ossos.

Sintomas de Menopausa

Muitas mulheres se perguntam como saber que estão entrando nesta fase da vida.

Diante disso, é necessário entender os principais sintomas da menopausa.

São eles:

Alterações menstruais (antes do término completo).

Calor (fogacho).

Coceira e secura vaginal, que podem levar à dor na relação sexual.

Redução da libido.

Diminuição do tamanho dos seios e perda de firmeza.

Sudorese noturna.

Problemas para dormir.

Mudanças de humor.

Períodos de ansiedade, irritabilidade e depressão.

Diminuição da autoestima.

Ganho de peso.

Desaceleração do metabolismo.

Pele seca e cabelos mais finos.

Diminuição da elasticidade da pele.

Dores de cabeça.

Aumento da porosidade dos ossos.

Nem toda mulher tem todos esses sintomas.

A aparência dos sinais varia dependendo da condição e da menopausa.

Sintomas da menopausa menos frequentes

Entre os sintomas menos frequentes encontramos:

Calafrios.

Falhas de memória.

Fadiga.

Incontinência urinária.

Osteoporose.

Caso você comece a notar alterações no ciclo menstrual e esteja dentro da idade de risco, é essencial procurar ajuda médica.

Para que um tratamento adequado seja iniciado como forma de controlar dos sintomas.

Diagnóstico de Menopausa

O diagnóstico da menopausa é clínico e confirmado quando uma mulher na faixa etária adequada relata que não menstrua há mais de um ano.

Além do uso de doses hormonais, são necessários exames para confirmar o diagnóstico.

Os especialistas que podem diagnosticar a menopausa são: ginecologista e clínico geral.

Exames

Os testes geralmente não são necessários para diagnosticar a menopausa.

No entanto, em alguns casos, seu médico pode recomendar exames de sangue para verificar seus níveis de:

Hormônio folículo-estimulante (FSH) e estrogênio (estradiol).

Hormônio estimulante da tireóide (TSH).

Tratamento de Menopausa

A menopausa é um processo natural do corpo feminino e pode não necessitar de intervenção terapêutica.

No entanto, se os sintomas forem muito incômodos, os tratamentos da menopausa podem ser feitos para melhorar a qualidade de vida da mulher.

Entre as opções encontramos:

A terapia de reposição hormonal são os tratamentos mais eficazes para as ondas de calor.

Este tipo de tratamento pode reduzir a frequência das ondas de calor em até 75% e reduzir sua gravidade em 87%.

Pode ser substituído por estrogênio ou uma combinação de estrogênio e progestina.

Idealmente, a reposição deve ocorrer dentro da chamada “janela de oportunidade”, geralmente entre as idades de 50 e 59 anos, e até 7 anos após o início dos sintomas da menopausa.

Essas condições tornam o tratamento mais seguro.

Além disso, a substituição só deve ser feita após a paciente ter concluído todos os exames de rotina e o médico ter revisado seu histórico de saúde.

Isso irá ajudá-lo a ver se há alguma contraindicação e dosagem hormonal ideal.

O ideal é que as mulheres continuem tendo acompanhamento médico durante a reposição hormonal para melhor monitorar sua saúde.

Uma vez que seus benefícios não são mais necessários, o tratamento deve ser descontinuado.

Riscos

Certos tipos de terapia hormonal estão associados a diferentes complicações, como aumento do risco de câncer de mama, câncer de cólon, doenças cardiovasculares e fraturas.

Por esse motivo, todos esses fatores devem ser avaliados com um médico antes de optar por continuar esse tratamento.

17 em cada 1.000 mulheres que recebem terapia de reposição hormonal desenvolverão câncer de mama.

Os outros 983 continuam com o mesmo risco de antes.

Contraindicações a reposição de hormônios

A terapia de reposição hormonal é contraindicada nas seguintes mulheres:

Que já sofreram infarto.

Tenham grave comprometimento das artérias coronárias.

Possuam doença no fígado que impeça seu funcionamento.

Tenham apresentado ou ainda apresentem câncer de mama ou no endométrio.

Possuam histórico de doença vascular cerebral (AVC).

Estejam com um quadro de hipertensão não-controlado.

Como funciona Aplicação de estrogênio?

Para aliviar os sintomas de secura vaginal, muitos especialistas podem recomendar estrogênio tópico, que é usado em um creme na própria área vaginal.

Este método é especialmente útil para mulheres com atrofia vaginal, que tem relações sexuais dolorosas e problemas uroginecológicos.

Como funciona Medicamentos não-hormonais?

Para as mulheres que não podem recorrer à terapia hormonal, existem outras opções de medicamentos, dependendo dos sintomas presentes.

Para sintomas como ondas de calor, existem antidepressivos, hipnóticos, sedativos, antidopaminas, drogas vasoativas ou drogas que atuam no eixo hipotálamo-hipofisário.

Este método é principalmente adequado para mulheres:

Que não querem fazer terapia hormonal.

Pode apresentar efeitos colaterais da terapia hormonal.

Resposta insatisfatória à terapia hormonal.

A terapia de reposição hormonal é proibida.

Como funciona Fitoterapia?

A fitoterapia é uma terapia alternativa que tem como foco o uso de plantas medicinais e seus extratos.

Durante a menopausa, os fitoestrógenos são mais visíveis, substâncias naturais que agem como os hormônios femininos.

Os mais usados ​​hoje são: soja, trevo vermelho e cohosh negro.

Além deles, valeriana e melissa também são usadas para sintomas de sono e ansiedade.

O ideal é manter a fitoterapia sob a orientação de um especialista.

Também é importante não ingerir extratos de plantas perto da hora das refeições para que possam ser absorvidos adequadamente.

Como funciona Homeopatia?

A homeopatia é uma abordagem alternativa de tratamento utilizando substâncias que visam o problema, individualizadas para cada mulher.

Especialistas procuram os principais sintomas que afligem uma mulher nesta fase e escolhem remédios homeopáticos que podem ajudá-la.

Drogas que têm um papel importante nesse período, como Sepia Succus, Lachesis e Natrum muriaticum.

Além disso, existem extratos hormonais como Oophorinum e Folliculinum, que podem substituir parcialmente os hormônios que o corpo da mulher não produz mais.

Como funciona Acupuntura?

A acupuntura é uma antiga técnica chinesa que pode ajudar na menopausa, estimulando diferentes partes do corpo.

Promove, mantém e restaura a saúde inserindo agulhas de metal em locais específicos com base nos sintomas femininos.

Além disso, a acupuntura pode prevenir a deterioração da doença.

Os pontos a serem estimulados e a frequência do tratamento também variam de acordo com os sintomas que cada mulher apresenta.

Como funciona Alimentos e bebidas?

Segundo ginecologistas especializados em prevenção de doenças e longevidade, as bebidas e alimentos mais recomendados para a menopausa são os ricos em cálcio e vitamina D.

Para fazer isso, incorpore em sua alimentação:

Amêndoas.

Brócolis.

Couve-manteiga.

Castanha-do-Pará.

Leite desnatado e derivados.

Óleo de fígado de peixe.

Salmão.

Atum.

Tofu.

Inhame.

Grão de bico.

Suco de cranberry.

Pistache.

Chá branco, chá de hibisco, chá de amora e maca peruana

Medicamentos para Menopausa

Os medicamentos mais usados para o tratamento da menopausa são:

Acetoflux.

Depo-Provera.

Estriol.

Apenas um médico pode lhe dizer qual medicamento é melhor para você e a dose e duração corretas.

Siga sempre as instruções do seu médico e nunca se automedique.

Não pare de usar este medicamento sem consultar o seu médico, e se você tomá-lo mais de uma vez ou tomar uma quantidade muito maior do que o prescrito, siga as instruções na bula.

Convivendo com o prognóstico

Calor da menopausa.

Uma das principais queixas das mulheres na menopausa é sentir calor.

Isso se deve à falta de estrogênio: diminuição dos níveis de estrogênio no corpo, que é o principal hormônio feminino.

Portanto, para reduzir as sensações de calor e possíveis doenças associadas à sudorese profusa, recomenda-se:

Fazer atividade física regular.

Evitar fumar.

Evitar usar roupas apertadas, que podem fazer seu corpo suar e até mesmo causar o aparecimento de micose.

Queda de colágeno

Durante a menopausa, a produção de colágeno diminui.

Isso pode favorecer o aparecimento de rugas, queda de cabelo e unhas enfraquecidas.

Revise a necessidade de suplementos de colágeno com especialistas, como nutricionistas e dermatologistas.

Evite banhos quentes, que podem enfraquecer os fios de cabelo; não deixe as unhas muito compridas, que podem quebrar.

Não se esqueça de aplicar protetor solar e cremes de colágeno, principalmente no rosto.

Sexo

Durante a menopausa, a libido feminina diminui.

Além da perda de elasticidade do canal vaginal, devido à perda de colágeno, a pele da região genital fica mais fina e menos lubrificada.

Esses fatores podem tornar o sexo entre casais menos comum, além de causar desconforto à mulher durante a relação sexual, incluindo infecção, corrimento, coceira, ardor e sangramento.

Lembre-se, não há limite de idade para experimentar sexo.

Portanto, mantenha o afeto, a intimidade e a criatividade durante o sexo.

Para não ter desconforto durante o sexo, consulte seu ginecologista regularmente e tenha uma vida saudável.

Evite o sedentarismo, tabagismo, obesidade, alcoolismo e doenças crônicas.

Se necessário, discuta com seu médico a necessidade de reposição hormonal.

Ganho de peso

Ao contrário do que muitos acreditam, o ganho de peso na menopausa não está diretamente relacionado às alterações hormonais e pode ser prevenido, principalmente nesse período.

O que acontece é que durante a menopausa, o gasto energético diminui com a idade.

Dito isto, as mulheres também tendem a se exercitar menos nesta fase.

No entanto, uma queda no estrogênio no corpo afeta a redistribuição da gordura corporal que acaba na região abdominal após a menopausa.

Por isso, é ideal manter uma alimentação equilibrada e não abrir mão da atividade física regular.

Risco de diabetes

Durante a menopausa, a sensibilidade à insulina das mulheres geralmente piora, aumentando o risco de desenvolver diabetes.

Portanto, o uso da hormonioterapia além da atividade física pode auxiliar no combate a esses efeitos metabólicos.

Fertilidade e gravidez

Ao longo dos anos, a fertilidade feminina diminui, o que significa menos produção de hormônios que levam à ovulação.

Toda vez que uma mulher menstrua, ela perde alguns óvulos até que a menopausa pare essa liberação.

Portanto, não há chance de gravidez durante a menopausa natural.

No entanto, as mulheres podem engravidar enquanto ainda estão no climatério

Mal-estar na menopausa

Devido às ondas de calor, as mulheres muitas vezes se queixam de condições que lhes causam desconforto durante a menopausa.

Por exemplo, suores noturnos, fadiga, irritabilidade, tonturas e vertigens.

Quando tiver esses sinais, visite seu ginecologista o quanto antes e relate como está se sentindo.

Dificuldade para dormir

Algumas mulheres têm dificuldade em adormecer ou permanecer dormindo durante a transição dos períodos menstruais regulares para a menopausa.

Felizmente, existem muitos tratamentos para distúrbios do sono hoje.

Secura vaginal

Os níveis de estrogênio no sangue caem durante a menopausa, o que seca e afina os tecidos da vagina e da uretra.

Isso pode levar à secura vaginal ou irritação nesta área.

Para isso, consulte seu ginecologista e opte por um lubrificante específico e confiável para manter a relação sexual prazerosa.

Ansiedade e depressão

Como a menopausa é o estágio de mudança dos hormônios femininos, algumas mulheres podem ter problemas.

Tais como alterações de humor, depressão, ansiedade e dificuldade de concentração.

Se notar algum desses sinais, consulte seu ginecologista e veja se precisa de psicoterapia.

Não há nada de errado ou constrangedor em fazer terapia, é uma forma de manter e melhorar sua autoestima e qualidade de vida.

Qualidade de vida

Para manter a qualidade de vida mesmo na menopausa, algumas dicas são essenciais:

Beba bastante água.

Use roupas leves.

Pratique exercícios regularmente, caminhada, natação e dança ajudam a fortalecer os músculos.

Evite o tabagismo, sedentarismo e alcoolismo.

Opte por refeições mais leves e mais frequentes.

Tome sol.

Use filtro solar, principalmente no rosto.

Vá regularmente ao ginecologista.

Essas medidas ajudarão a melhorar o bem-estar e prevenir doenças como câncer de mama e osteoporose.

A menopausa e o climatério são uma ocorrência natural no ciclo de vida de uma mulher e nem todas as pessoas apresentam sintomas durante esse período.

Complicações possíveis

Com o início da menopausa, o risco de certas doenças aumenta, principalmente na ausência de acompanhamento ginecológico e clínico.

Algumas das doenças que podem ser mais intensas ou presentes nesta fase são:

Doença cardíaca e vascular (arritmia, infarto, hipertensão)

Quando os níveis de estrogênio caem, o risco de doença cardiovascular aumenta.

A doença cardíaca é a principal causa de morte em mulheres e homens.

Portanto, é muito importante praticar exercícios regularmente e seguir uma dieta saudável.

Converse com seu médico sobre como proteger seu coração, reduzir o colesterol ou a pressão arterial, se estiverem altos.

Osteoporose

Durante os primeiros anos após a menopausa, a densidade óssea diminui rapidamente, aumentando o risco de osteoporose.

O que torna os ossos mais fracos e com maior risco de fraturas.

Mulheres na pós-menopausa com osteoporose são particularmente propensas a fraturas da coluna, quadril e pulsos.

Incontinência urinária

À medida que o tecido vaginal e uretral perde elasticidade, pode ocorrer micção súbita e intensa, seguida de perda involuntária de urina, incontinência urinária.

Ou vazamento de urina ao tossir, rir ou levantar pesos pesados​, incontinência de esforço.

A incidência de infecções do trato urinário também aumenta.

O fortalecimento dos músculos do assoalho pélvico com exercícios de Kegel e o uso de estrogênio vaginal tópico podem ajudar a aliviar os sintomas, assim como a terapia hormonal.

Disfunção sexual

A secura vaginal que ocorre devido à produção reduzida de umidade e perda de elasticidade pode causar desconforto e sangramento leve durante a relação sexual.

Além disso, a diminuição da sensibilidade reduz o desejo de atividade sexual.

Hidratantes e lubrificantes vaginais à base de água podem ajudar.

Se o lubrificante vaginal não for suficiente, muitas mulheres se beneficiam do uso de tratamentos tópicos de estrogênio vaginal, que vêm na forma de cremes, pílulas ou anéis.

Obesidade

Muitas mulheres ganham peso durante a transição da menopausa e após a menopausa porque o metabolismo fica mais lento.

E as mulheres tendem a se exercitar menos durante essa fase.

Para manter seu peso ideal, você precisa seguir uma dieta equilibrada e manter-se fisicamente ativo.

Espero que suas duvidas tenham sido esclarecidas.

Lembre-se, climatérios e menopausa não são doenças, você pode ter uma vida tranquila e saudável!

Leia também:

Ciclo Menstrual: 7 Dicas para ficar mais confortável

Descubra quais são os tipos de Acnes, suas causas e tratamento

Melhore a sua Fertilidade através da alimentação

Displasia mamária: Tudo o que você precisa saber

 

4 Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Solicitar exportação de dados

Utilize este formulário para solicitar uma cópia dos seus dados neste site.

Solicitar remoção de dados

Utilize este formulário para solicitar a remoção dos seus dados neste site.

Solicitar retificação de dados

Utilize este formulário para solicitar a retificação dos seus dados neste site. Aqui você pode corrigir ou atualizar seus dados por exemplo.

Solicitar cancelamento de inscrição

Utilize este formulário para solicitar o cancelamento de inscrição do seu e-mail em nossas Listas de E-mail.